Como o Varejo Esportivo tem crescido no Brasil?


O universo do esporte teve suas estruturas abaladas no começo da pandemia da Covid-19. A realização das atividades físicas necessitavam da presença dos atletas em palcos indoor e/ou outdoor e isso foi pausado de forma inesperada com o avanço do vírus pelo globo.


O símbolo da transformação do esporte foi visto pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de 2020. A maior competição de esportes do planeta foi postergada devido aos problemas enfrentados pelo Japão e pelos demais países - fazendo com que os Jogos fossem disputados em 2021.


Mesmo com os esportes em pausa, o marketing esportivo continuou crescendo e se mostrou um dos segmentos mais seguros do Brasil. Se em 2020, por conta do desconhecimento quanto à pandemia, o mercado de produtos esportivos caiu, em 2021, houve um grande crescimento.


Segundo estudo apresentado pelo instituto Criteo, o setor cresceu 127% nas vendas. O levantamento aponta para o costume dos brasileiros de comprar materiais e produtos para praticar atividades físicas em casa - segundo o instituto, houve um aumento de 149% na busca de aplicativos de meditação e Yoga.


Mas, porque este mercado vem crescendo mesmo no momento delicado da economia nacional? Para entender o motivo é preciso entender o que é o marketing esportivo, qual a sua importância e o sentimento buscado por esse mercado junto aos consumidores.


Ficou curioso? Conheça mais sobre o marketing esportivo!


O que é marketing esportivo?


Você já parou para pensar porque atletas como Lebron James, Roger Federer e Tom Brady são utilizados em campanhas publicitárias? Esses atletas possuem grande apelo ao público, sendo eles fãs de esportes ou não, por conta de suas atitudes extra-campo.


Essas figuras são fundamentais para o marketing esportivo uma vez que conectam as pessoas aos produtos que estão sendo expostos nos atletas. O objetivo das campanhas é mostrar uma solução ou uma necessidade até então não conhecida pelo consumidor - por exemplo, o tenista suiço possui parceria com grandes empresas, como Rolex, Credit Suisse e Mercedes-Benz.


O marketing esportivo é um segmento do marketing que tem por objetivo criar conexões com o cliente. As ações realizadas podem ser feitas por empresas do próprio universo esportivo ou de empresas fora do ambiente - corporativa ou institucional.


Sentimento é marca do Marketing Esportivo


O esporte é sentimental. O torcedor pode ir da alegria à tristeza em questão de poucos minutos. Uma bola que entra ou sai, bate na rede ou pega na linha pode fazer a diferença entre um fim de semana alegre ou triste para o torcedor.


Por conta disso, o sentimento do torcedor é visto como a principal fonte de desejo do marketing esportivo. Por isso, grandes eventos como Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, Grandes Slams e torneios esportivos são motores para o marketing esportivo.


Economia está interligada ao esporte


O esporte sempre foi visto como um mecanismo social. A partir da década de 20, ele de fato foi incorporado em outros meios da sociedade.


O começo do marketing esportivo se deu nos Estados Unidos. A primeira empresa a utilizar o mecanismo foi a Hillerich & Bradsby - um dos sócios era fã de baseball e durante uma partida ofereceu os serviços de sua empresa para construir um taco para Pete "Louisville Slugger" Browning - grande jogador da modalidade na época.


Rapidamente, os tacos produzidos pela empresa foram compartilhados dentro da MLB (liga de Baseball americana) e grandes nomes passaram a utilizar o equipamento e gradativamente realizar campanhas (mesmo que involuntariamente para a marca).


O padrão realizado pela Hillerich & Bradsby foi feito em outros mercados, até os dias atuais. Segundo estudo da Sports Value, a cada US$ 1 gerado por uma liga, a economia recebe US$ 2,50.


Varejo Esportivo vem em boa fase


Com a pandemia, o varejo precisou se restabelecer. Antes, os produtos eram disponibilizados para os consumidores em stands e lojas (no tradicional varejo físico).Com a necessidade do isolamento social, os e-commerces passaram a ser o principal meio de compra para o mercado esportivo.


Nos últimos anos, o mercado de artigos esportivos viveu dois momentos. Em 2020, com a chegada da pandemia e a incerteza que o mundo atravessou, os números de aquisições caíram. Já em 2021, a possibilidade da prática de esportes indoor ou outdoor (seguindo protocolos) alavancou os números.


No ano passado, os canais digitais movimentaram 11,6% do varejo nacional (dados publicados pelo portal Mercado & Consumo). Já os materiais esportivos tiveram um crescimento de 127%, segundo estudo do instituto Criteo.


A perspectiva deste ano é para um prosseguimento na evolução dos números. Novidades no mercado como as NFTs já vem movimentando altos valores e a proximidade da Copa do Mundo (em 2022) vem mantendo os números do varejo esportivo em alta.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo